Carreira e os motivos para fazer coaching

Os motivos para fazer coaching de carreira podem ser muitos. Tantos quantos o profissional pode ter em uma vida produtiva.

Neste artigo vou mostrar alguns dos motivos mais observados nos consultórios de coaching ou nos processos conduzidos no ambiente corporativo. Seja para a vida pessoal seja para a carreira, qualquer que seja o motivo, não há barreiras para um processo de coaching, a não ser que o caso seja para um psicólogo ou outro especialista.

Vamos ver 3 dos maiores motivos que colocam as pessoas diante de um profissional de coaching:

Avaliação de desempenho:

83% das grandes companhias brasileiras realizam avaliação de desempenho de seus profissionais. Na maioria dos casos a avaliação é realizada em todos os níveis da corporação. Das que não fazem 15% pretende implantar. Os aspectos abordados nas avaliações são os qualitativos (competências, comportamentos e valores) e os quantitativos (metas e objetivos). Quando o profissional é cobrado de melhoria nos resultados abaixo do esperado ele procura o Coach.

Insatisfação ou a “Síndrome de Burnout”?:

Baixo salário, ambiente de trabalho ruim, conflitos interpessoais, trabalhar no que não gosta. Estes são alguns dos principais motivos de insatisfação no trabalho e que podem levar uma pessoa ao coach.

Falta de valorização:

Profissionais que não se sentem valorizados perdem o gosto pelo trabalho e podem chegar a desenvolver doenças como gastrite, dores de cabeça crônicas entre outras. Baixa autoestima frustração é um bom motivo para fazer coaching. Faça este teste agora e descubra se você está nesta.

Um bom profissional de Coaching vai ouvir seu cliente em todas as suas queixas.  Elas podem ser de falta de bons resultados, de baixo desempenho nas últimas avaliações produzidas pela empresa e pela qualidade negativa de seus relacionamentos internos. Depois disso vai conduzi-lo através de um processo de parceria e confiança a enxergar as melhores saídas para isso tudo.

A partir daí inicia-se o coaching. Com um objetivo e um caminho a trilhar. Minimizando as deficiências e reforçando os pontos positivos do profissional. Assim vão, juntos, descobrir o que é necessário e possível fazer a fim de aumentar o desempenho e potencializar resultados otimizados. Com a aplicação de diversas ferramentas uma nova possibilidade de futuro vai se descortinando diante do profissional. Desta forma, ele acaba se vendo mais confiante e passa a enxergar seu futuro com a cabeça erguida e com muito mais energia para seguir em frente.

Nesse ponto, os motivos do coachee (cliente) passam a ser os mais adequados para o processo:

Objetivos de carreira:

Um grande objetivo, de preferência, é o que vai fazer o processo do coaching valer a pena. O coaching é um processo para chegar lá e não para ficar elucubrando possibilidades, muito menos para se prestar a muro de lamentações. Devemos lembrar que o coaching não é igual a psicologia que trabalha questões do passado.  No coaching, o futuro é o lugar para onde vamos olhar 90% do tempo. Por isso, ter um objetivo é o básico para começar.

Existem outros motivos, claro, porém os que foram abordados nesse artigo visam mostrar os principais, principalmente para aqueles ligados à carreira.

Assim, existe um processo anterior ao coaching,  o profissional se vê diante de uma indecisão e insatisfação. Depois ele vai para o ponto em que se encontra dentro de um caminho escolhido. O coaching poderá servir de um poderoso processo de impulsionamento e aceleração de conquistas positivas e saudáveis.

Conte sempre com um profissional capacitado e formado em coaching.

Sidnei Miranda.

Central de Atendimento

contato@sidneimiranda.com.br

(11) 94027-7221

(11) 2836-2080

© 2018 • Todos os direitos reservados