Seu medo de falar em público foi agravado com a pandemia?

Em 2020 os médicos detectaram uma nova fobia de medo. Era a “Coronofobia”, o medo de pegar o coronavírus.

Não é por acaso, mais de 2.5 milhões de pessoas morreram vitimadas da doença até agora em todo o mundo. 

O medo na população veio principalmente das notícias diariamente geradas pelas mídias de massa, internet e foi reforçado pelos novos comportamentos adotados como prevenção, como o confinamento (lockdown), o uso de álcool e o uso de máscaras.

Mas, agora que estamos nos distanciando da grande ameaça de pandemia, principalmente devido à vacinação em massa, vemos que muita gente trás o medo, que ficou instalado no sistema nervoso pela experiência vivida neste processo.

Os consultórios psicanalíticos e psiquiátricos estão lotados.
Segundo dados da Anvisa, no Brasil existem mais de 130 tipos de antidepressivos. E nos últimos 4 anos a venda desses medicamentos cresceram mais de 40%

Não é um medo simples.


É um pavor diante da possibilidade de morrer de uma gripe. Soma-se a isso a dor de ter perdido parentes e amigos próximos. Todos nós perdemos uma parte de nós, mesmo os que não experimentaram a doença.

E entre os que experimentaram e continuam por aqui, muitos ficaram com sequelas. Eu mesmo ainda estou aguardando a volta do meu paladar depois de ter me curado de coronavírus em janeiro de 2022.

Esta experiência da pandemia é maior e mais profunda do que podemos pensar. E, afirmam os espiritualistas que, a humanidade não aprendeu direito a lição. Mas, que lição é esta?

É a lição da fraternidade. 


Muitas pessoas deram-se as mãos durante os períodos de dificuldades que muitos passaram por não poderem trabalhar, entre eles os que perderam seus empregos por causa das empresas que foram forçadas a fechar as portas.

Outros, no entanto, foram encontrados fazendo festas, viajando, ou reclamando de ter que ficar em casa, com os filhos, no relacionamento conjugal próximo ou ao lado da família que, para muitos era quase desconhecida pela pouca convivência.

Houve aumento nos casos de divorcio desde 2020 por causa da convivência entre os casais (?) chegando a bater recorde no número total de separações desde 2015.

A fraternidade é o nome que damos para a boa vontade em ajudar ao próximo, ao necessitado. É a ação da bondade, da ajuda verdadeira que foi muito necessária nesse período. Foi realizada pelo vizinho, pelo desconhecido, pelo parente e pelo amigo. Foi uma bênção que transformou a história de muita gente que esteve por um fio. 

Apesar de tudo isso, muitos acabaram voltando ao estado de espírito anterior agora que o maior risco já não existe como antes.
São poucos os que absorveram o conceito mais profundo e se deixaram dominar por ele. 

Dizem alguns espiritualistas que serão necessários mais dois grandes eventos de purificação da humanidade para que ela chegue em um estado onde as guerras já não façam mais sentido. 

O que dizer de nós?

Se não morremos combatendo um vírus mortal nos matamos em guerras criadas por nós mesmos?

Como estão seus medos?

Como você se sente interiormente? Está mais fortalecido ou mais fragilizado depois dos últimos anos?

Você já sabe que a minha matéria prima é o ser humano. Minha empresa é de Desenvolvimento Humano. E o foco que eu uso como pano de fundo para ajudar as pessoas a se desenvolverem é a comunicação. 

Pensando nisso eu te pergunto:

“Como está sua comunicação?”

Você tem se comunicado bem? Consegue falar em público? Não foi atingido pelo medo de forma a alterar, ainda que um pouco, a sua expressão verbal ou não verbal?

Eu estou por aqui. e quero me colocar à sua disposição através de meus treinamentos, para o seu crescimento interior. Eu trabalho baseado em conhecimento e autoconhecimento. As vezes uso filosofia nas minhas aulas. As pessoas desse tempo estão se mostrando muito carentes disso. 

Venha participar de uma de minhas turmas. Desenvolva sua comunicação e ganhe destaque na sua carreira profissional. Aumente suas chances de evolução pessoal em todas as áreas da sua vida.

Conte comigo!

Prof. Sidnei Miranda

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.